Autor da Vez: Rebecca Dellape

Quem aqui estava com saudades das entrevistas com os escritores? Eu tava! Hahahah. Dessa vez resolvi entrevistar uma escritora nacional, a querida Rebecca Dellape, que publicou neste ano seu romance de estréia, o Entre Outubros. Vamos lá?

Rebecca Dellape Entre OutubrosO que lhe motivou a escrever o Entre Outubros?
A ideia surgiu num rompante. Na época eu estava vivendo um episódio muito desconfortável onde vizinhos maldosos ameaçavam a mim e a minha mãe diariamente. Diziam que iriam me sequestrar, me ferir, sumir comigo. Além das ofensas constantes, chegaram a assaltar minha casa e viraram minha rotina de cabeça pra baixo. Como sempre tive uma postura rebelde diante de tudo, só conseguia focar num único pensamento: “se me pegarem, eu vou lutar pra escapar. Eu não vou desistir”. Logo, cenas de uma garota indo pra escola, sendo sequestrada e escapando horas depois tomou conta da minha consciência. Não tive outra escolha a não ser começar a escrever, rs.

Quanto tempo levou para que ele fosse finalizado? Você foi atrás da editora por conta própria?
Foram 5 anos. E sim, busquei algumas editoras até que a terceira topou a publicação.

Como é ser uma nova autora tão jovem?
Não me acho tão jovem, rs. Mas é muito bacana, porque estou bem próxima da idade dos leitores e na maioria das vezes me sinto como eles. Acho essa interação fundamental.

Temos visto vários jovens se dedicando a escrever suas histórias. O quanto você acha que isso pode mudar o futuro de nosso país?
Acho muito válido, porque na grande maioria dos casos, escrever um livro faz você explorar sentimentos e teorias que você não se permite ao longo da vida. Isso traz um crescimento pessoal, o que eu acho estar em falta nas prioridades dos jovens.

entre outubros rebecca dellapeQuais são suas maiores inspirações literárias?
Stephenie Meyer (sim), por seu zelo com as palavras. Gillian Flynn, pelo modo audacioso de tecer persolinades e Kristin Hannah, por sua genuína essência de literatura dramática.

Quem inspirou Holly, sua protagonista?
Eu sempre quis dar vida a uma personagem que fosse concretamente real. E que não possuísse uma personalidade passiva e nem precisasse ser salva durante o desenrolar da trama. Queria uma (anti)heroína que tomasse decisões contraditórias, mas que fosse fiel a sua identidade ousada. Basicamente, me inspirei num “modelo ideal” do que penso ser desejável para uma garota.

Você está trabalhando em uma sequência para o EO ou em algum projeto novo no momento? Fale um pouco sobre isso!
Sim, sim! A continuação do #EO sairá em breve, ainda neste ano. Paralelamente estou me dedicando a dois títulos que serão publicados no próximo ano. Um deles aborda a história de uma garota que entra pra faculdade e acaba por se meter em algumas encrencas, tendo que provar sua inocência para se ver livre de uma acusação arrebatadora.

Mande um beijo para seus leitores e fãs!
Ah! Todos sabem que os guardo dentro do peito, pois são como minha família. Não há palavras que descrevam o quanto os quero por perto. Amo sem censuras. Mil beijos!

Compre o Entre Outubros:


Top 5: Séries da Meg Cabot

Se tem uma escritora a qual muito idolatro e todos sabem, é a rainha Cabot. Ela além de escrever livros stand-alone incríveis, é autora de algumas das séries mais famosas entre os adolescentes no mundo. Separei minhas cinco favoritas para esse Top 5, sem uma ordem específica. Vamos lá?

o diário da princesa
o diário da princesa devoradora de livros O Diário da Princesa conta a história de Mia Thermopolis, uma adolescente de catorze anos que se acha uma “aberração” por ter um metro e oitenta de altura e nenhum peito. Vivendo problemas cotidianos, como a rivalidade com uma colega, a paixão pelo garoto mais popular do colégio, e questionando o fato de sua mãe namorar o seu professor de álgebra (um conhecido dela, quando em Nova Iorque e em Manhattan, onde vive, milhares de outras pessoas existem), ignora sua condição de herdeira ao trono do pequeno principado de Genovia (um pequeno país europeu). Mia vem a saber disto quando seu pai, a quem vê apenas nos natais, descobre não poder ter mais filhos em razão de um câncer no testículo, e finalmente revela à filha sua condição nobiliárquica: Mia é uma princesa.

Por que é demais? A série possui dez livros e Mia vai crescendo com o passar de cada um (a série se encerra e ela tem 18 anos). Você se identifica muito com ela pelo fato de ela ser extremamente desengonçada, ter problemas no colégio e ainda uma melhor amiga meio esquisita. Foi a primeira série da Cabot que eu li e recomendo a todas as pessoas que eu posso! Meus livros favoritos são o terceiro e o décimo. A série possui sete livros “meios” que são breves histórias que se encaixam entre os livros normais. Até agora só li quatro deles.

Títulos da série: O Diário da Princesa, A Princesa sob os Refletores, A Princesa Apaixonada, A Princesa à Espera, A Princesa de Rosa-Shocking, A Princesa em Treinamento, A Princesa na Balada, A Princesa no Limite, Princesa Mia e Princesa Para Sempre. Livros meios: Lições de Princesa, O Presente da Princesa, Project Princess, Valentine Princess, Sweet Sixteen Princess, Perfect Princess e Holiday Princess (os cinco últimos não tem tradução para português).

desaparecidos meg cabot

desaparecidos devoradora de livros “Mandaram que eu escrevesse um relato, em primeira pessoa, sobre o que aconteceu comigo, falando toda a verdade e nada mais do que a verdade. Então tá. O que aconteceu comigo: fui atingida por um raio. Tudo culpa da Ruth, que resolveu que queria voltar da escola andando, para queimar uns quilinhos… Acabou que eu é quem fui queimada. Ninguém acreditou em mim, nem eu mesma, pra ser sincera. Eu não estava me sentindo mal, não tinha nenhuma marca ou machucado… Nem estava chamuscada! Mas logo as coisas começaram a mudar. Quando acordei no dia seguinte, de alguma forma sabia onde estavam as duas crianças cujas fotos estampavam a caixa de leite, aquelas do Disque-Desaparecidos, sabe? Pois é. Eu tinha certeza absoluta sobre onde elas estavam. O problema é que eu achava que estava fazendo uma coisa boa! Liguei para o Disque-Desaparecidos e avisei à simpática senhorinha onde estavam essas duas crianças, e depois mais outras… Até que dois não-tão-simpáticos agentes federais apareceram na minha escola para conversar comigo. Até parece! Agora sou foragida da justiça, tenho que ajudar um dos meninos que foram encontrados e ainda preciso disfarçar o quanto o motoqueiro da sala de detenção mexe comigo… Ainda bem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar… Certo?” – Jessica Mastriani

Por que é demais? A série possui cinco livros, mas o último ainda não chegou ao Brasil. Eu estou completamente ansiosa pra saber qual será o desfecho da garota-relâmpago. É legal porque a Jessica é uma garota relativamente popular no colégio, todos gostam dela (com exceção da Karen Sue Hanky) e o Rob é simplesmente um dos melhores personagens masculinos da Meg. Fora que as capas brasileiras são outro atrativo… a série vale muito à pena ser lida! Meus livros favoritos até agora são o terceiro e o quarto.

Títulos da série: Quando Cai o Raio, Codinome Cassandra, Esconderijo Perfeito, Santuário e Missing You* (ainda sem tradução)

a mediadora meg cabot

a mediadora devoradora de livros Suzannah Simon é uma adolescente aparentemente comum que tem um problema com construções antigas. Não é para menos. Afinal, muitas dessas casas velhas são assombradas. E Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de ver e falar com fantasmas para ajudá-los a descansar em paz. É claro que esse dom lhe traz muitos problemas. Mas nem ela poderia saber a gravidade do que encontraria ao mudar-se para Califórnia.

Por que é demais? Porque simplesmente A Mediadora é a melhor série já escrita pela Meg (ao lado de Abandono). Suze é uma personagem incrível e Jesse nem se fala. A série conta com seis livros e os meus favoritos são o quarto e o sexto. É impossível largar a série antes de acabar, e acho que todas as pessoas no mundo tinham que ler! Hahah

Títulos da série: A Terra das Sombras, O Arcano Nove, Reunião, A Hora Mais Sombria, Assombrado e Crepúsculo.

 

abandono meg cabot

abandono devoradora de livros Pierce Oliviera tem dezessete anos de idade e sabe o que acontece quando morremos. É assim que ela conheceu John Hayden, o misterioso estranho que fez ela voltar a vida normal — ao menos a vida que Pierce conhecia antes do acidente — quase inacreditável. Embora ela pense que escapou dele — começando em uma nova escola em um novo lugar — confirma-se que ela estava errada. Ele a encontra. O que John quer dela? Pierce acha que sabe… também acha que ele não é um anjo da guarda, e seu mundo sombrio não é exatamente o céu. Mas ela não consegue ficar longe dele, especialmente porque ele está sempre lá quando ela menos espera, exatamente quando ela mais precisa. Mas se ela deixa cair qualquer coisa, ela pode se ver no lugar que ela mais teme. E quando Pierce descobre uma verdade chocante, sabe de onde John a salvou: o submundo.

Por que é demais? Essa é minha série favorita escrita pela Meg (só espero que ela não destrua o final. Espero sinceramente isso. Meg nunca me decepciona, com exceção de Mordida que foi uma catástrofe eu tenho certeza de que não vai se repetir), sem dúvida alguma. Pierce é a personagem com a qual mais me identifico e John simplesmente é o melhor personagem masculino de todos, ninguém é páreo para ele! Hahahah. Quando li não consegui acreditar em tamanha criatividade e perfeição! É a nova versão da lenda de Hades e Perséfone.

Títulos da série: Abandono, Inferno e Awaken* (ainda sem tradução para o Brasil).

heather wells meg cabot

tamanho 42 não é gorda devoradora de livros Heather Wells está no fundo do poço: perdeu seu namorado, nenhuma gravadora se interessa por suas músicas, ganhou peso e só entra em roupas tamanho 42, o pai está atrás das grades e a mãe fugiu para Buenos Aires com suas economias – e seu agente! Mas, aos poucos, as coisas parecem que vão se ajustar. Ela consegue um novo emprego como inspetora em uma faculdade de Nova York e está feliz com seu novo manequim. Mesmo sem o glamour e glória dos dias de ídolo teen, tudo parece ter melhorado. Ou será que ela está enganada?
De uma hora para outra, uma estudante morre misteriosamente no poço do elevador do campus. Os policiais e a diretoria estão prontos para declarar a morte como acidente, mas Heather conhece os adolescentes, e meninas não brincam com elevadores. Ainda que ninguém esteja muito interessado em ouvir suas suposições – mesmo depois que outras estudantes aparecem mortas de maneiras igualmente corriqueiras e sutilmente sinistras -, Heather decide entrar numa enlouquecida caçada para descobrir a verdade.
À primeira vista, a vida de detetive pode parecer uma irresistível aventura, com altas doses de adrenalina, mas a realidade é potencialmente perigosa. Alguns riscos podem ser fatais e nada é capaz de irritar mais um assassino do que uma ex-estrela pop corpulenta enfiando o nariz onde não é chamada…

Por que é demais? Porque a série é de mistério e as tramas são extremamente bem elaboradas – você fica arrepiado lendo. Heather é muito divertida e o Cooper é um personagem secundário genial, que me lembra os trejeitos do Holmes. Gosto muito da série e sempre me empolgo pra ler os livros novos. A série conta com cinco livros, mas apenas quatro foram traduzidos até agora.

Títulos da série: Tamanho 42 não é Gorda, Tamanho 44 Também não é Gorda, Tamanho Não Importa, Tamanho 42 e Pronta para Arrasar, The Bride Wore Size 12* (ainda sem tradução para português).

E aí, gostaram da minha super lista? Espero que agora vocês não tenham mais dúvidas com relação a que livros dela ler! Hahahah

Em: 17.10.2014
Postado por: Isabelle


Tags: